sábado, 31 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 16:28 2 comentários

2012 O ANO DA VERDADE. SE LIGUE E SAIBA POR QUÊ

Estou aqui tentando teclar um penúltimo post (o último só  quando se morre) para fechar este ano de 2011. Teria muitas coisas a dizer aos leitores que têm me acompanhado. Em primeiro lugar, um Feliz 2012 para todos. Depois, quero dar uma explicação que guardei justamente para este post.
Muita gente questionou como é que um blog que se propõe a fazer análises de fatos da política, da sociedade e da cultura, publica um post com uma modelo quase nua, num ensaio bastante sensual.
Pois é, foi um recado não para quem nos segue e sim para aqueles que não estão nem aí para a vida política brasileira.
Este post veja aqui ficou todo o ano de 2011 no primeiro lugar dos mais lidos em contraponto com outros assuntos da maior importância que a sociedade deveria saber. Cito, por exemplo, a série OBAMA SEM MÁSCARA e a sobre a AMAZÕNIA, que não chegaram nem perto do post da gatinha com calcinhas rendadas. E vários outros. Quer dizer, as pessoas não estão interessadas em coisas sérias. Outro dia vi um vídeo sofrível no Youtube com quase cinco milhões de acessos. Uma coisa totalmente inútil, idiota.
Muito se fala da participação da sociedade nas questões do dia a dia através das redes sociais. Tem muito pantim nesta história. Ora, se existem cerca de 70 milhões de pessoas conectadas e um evento coloca numa praça pública cerca de 20 mil, é uma mixaria. Não é nada. É zero vírgula alguma coisa.
Pergunta-se o que fazem estas zilhões de pessoas nas redes? Pelo que tenho visto é "apenas espelho":
- Espelho meu, espelho meu, existe alguém mais gostosa (o) do que?
E isto nos leva a pensar que a forma como a rede social está sendo usada, ao menos aqui, é algo totalmente egoísta, individual e servindo de pista para futuros seqüestros. E que ninguém se engane. Os bandidos estão ligados na rede e analisando posts que possam levá-los a praticar seus crimes.
Bom, todo esse quadro da rede brasileira só pode ser creditado a uma causa: o baixo nível cultural do país o que, evidentemente, leve o desinteresse da grande maioria sobre assuntos sérios que lhe dizem respeito.
Este blog, que é independente em todos os sentidos, não está sob as asas de nenhum grande portal, tem três contagens de audiências: a primeira em que se pode ver o globo terrestre "Linkados Online" que marca o nosso recomeço após alguns meses fora do ar, depois da tentativa de processo judicial por parte da Caixa Econômica Federal. Nele, registra-se uma contagem de cerca de mais de 262 mil visitas únicas.
A segunda "Você é o Visitante" que mede a audiência a partir desse retorno até hoje e marca mais de 348 mil visitas. E a terceira “Páginas Vistas" com mais de 547 mil páginas.
Não é muito, mas é alguma coisa se você levar em consideração que somos um entre milhões na rede, sozinhos e catando uma audiência de pessoas sensatas.
Para nós é motivo de orgulho e de agradecimento a todos os que nos seguem, pois você só conquista alguma projeção nesse "palheiro" se realmente demonstrar seriedade no seu trabalho.
Para 2012 prometemos muito mais. Vamos iniciar o nosso ano no dia 9 de janeiro com uma série polêmica 2012 - O RETORNO DOS ANUNNAKI que irá mostrar as mentiras que vêm sendo vendidas por governos, políticos e religiosos a cada um de nós todos estes anos. Cada post é ancorado em fatos científicos irrefutáveis e que não deixam a menor dúvida sobre o que estará sendo narrado.
Siga o blog se você é daquelas pessoas que não se contentam com explicações evasivas sobre muitos dos "mistérios" que nos cercam.
2012 é o ano da verdade. Se ligue e saiba por quê.





quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 22:29 3 comentários

CONTRA A IN JUSTIÇA BRASILEIRA SÓ OS SUPER-HERÓIS

Em sua primeira entrevista como presidente eleito do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), o desembargador Ivo Sartori mostrou por que a Corte é considerada a mais refratária a qualquer tipo de fiscalização, por parte da Corregedoria Nacional de Justiça. Além de acusar o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de desrespeitar as garantias de magistrados, em suas inspeções e sindicâncias, ele acusou o órgão responsável pelo controle externo do Judiciário de agir como no tempo da ditadura."Se existe uma Constituição, vamos respeitá-la. Sem isso, vai se voltar aos tempos da ditadura", disse Sartori.

Defensores do CNJ responderam lembrando que o órgão foi criado por uma Emenda Constitucional aprovada pelo Congresso, e acrescentando que as investigações realizadas pelo CNJ nas Justiças estaduais são transparentes, que os juízes acusados de irregularidades e desvios éticos têm tido direito de defesa e que quem não está cumprindo a Constituição, no âmbito da magistratura, são os dirigentes dos Tribunais de Justiça, como mostra o fato de, apesar das normas baixadas pelo CNJ, eles terem continuado a contratar parentes para cargos de confiança e a indicar filhos, compadres e colegas aposentados para dirigir rentáveis cartórios extrajudiciais.

Na réplica às declarações do presidente do TJSP, destacou-se o ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça e um dos responsáveis pela reforma da legislação processual civil. Dipp chefiou a Corregedoria Nacional de Justiça, entre 2008 e 2010, e foi quem autorizou a abertura de investigações na Justiça paulista, quando surgiram denúncias de irregularidades na folha de pagamento da Corte. No domingo, o ex-presidente do CNJ ministro Gilmar Mendes já havia dito que eram "heterodoxas e atípicas" as liminares concedidas pelos ministros Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski no último dia de trabalho antes do recesso do Judiciário, determinando a suspensão do poder do CNJ de investigar juízes e de quebrar seus sigilos bancário e fiscal - o que a corregedora Eliana Calmon nega que tenha feito.

As críticas de Dipp a Sartori foram no mesmo tom. Para o ex-corregedor nacional de Justiça, ao comparar o CNJ a uma ditadura, o presidente do TJSP mostrou que não dispõe de argumentos sólidos para criticar o controle externo da magistratura. "Quando o CNJ preconiza que os tribunais devem colocar nos sites da internet as licitações, as folhas de pagamento, a verificação da entrega obrigatória das declarações de bens e Imposto de Renda - que é obrigação do presidente da República ao mais humilde barnabé -, quando verifica (que há) inúmeras irregularidades nos cartórios extrajudiciais, passados de pai para filho, isso é ditadura ou norma democrática?", questionou Dipp.

No desdobramento da crise do Judiciário, que é a maior de todas desde a redemocratização do País, o ministro Marco Aurélio tentou refutar as críticas a ele dirigidas por Gilmar Mendes, alegando que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), vinculado ao Ministério da Fazenda, não poderia ter repassado para o CNJ os dados fiscais de 216 mil juízes e servidores. Os auditores da Corregedoria Nacional de Justiça retrucaram que o Coaf se limitou a identificar as movimentações financeiras atípicas de magistrados, agindo dentro das regras que coíbem os crimes de lavagem de dinheiro e que atingem todos os cidadãos brasileiros, sem exceção.

Um fato novo, na crise, é a entrada em cena de juízes mais jovens. Alguns estão começando a questionar publicamente o empenho das entidades da magistratura em defender corregedorias judiciais desmoralizadas. No início da crise, a Associação Juízes para a Democracia divulgou nota, criticando "a longa e nefasta tradição de impunidade dos agentes políticos do Estado, dentre os quais estão metidos a rol desembargadores estaduais e federais". A iniciativa teve pouco destaque na imprensa, mas estimulou juízes de primeira instância a exigir que suas entidades de classe passassem a defender o interesse público e não os interesses corporativos de desembargadores e ministros. Os juízes mais jovens têm consciência de que a imagem da magistratura não é boa perante a opinião pública e que a ofensiva para reduzir o CNJ a pó colocou o Judiciário de costas para o País.

A crise da Justiça, original publicado no O Estado de S.Paulo


Pois é, lendo e relendo texto acima e mais este do Augusto Nunes de Veja "O Supremo fica bem mais sensato com uma faca imaginária no pescoço" me sinto um cocozinho boiando na imensidão do oceano. Textos com verdades como estas nos levam a refletir sobre decisões passadas e futuras do STF. Passadas, como a demarcação da Reserva Raposa do Sol, que entrou ouro e nióbio para os gringos. Futuras, como a absolvição anunciada dos réus do mensalão.
Acreditar em quem? Em Papai Noel? Ou então nos Super-Heróis!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 15:00 1 comentários

PETISTA DEVE EXPLICAR APAGÃO MISTERIOSO NA CAIXA

A Caixa Econômica Federal, neste regime petista, parece não estar preocupada com fatos possam vir a macular sua imagem centenária. O que é lamentável, pois instituições como a Caixa, o Banco do Brasil e Petrobrás são símbolos brasileiros com a marca da nossa bandeira.

Quando repercutimos aqui notícias desfavoráveis a intenção é uma só: que corrijam os erros e os culpados sejam punidos em respeito ao povo e à própria instituição. Leiam o que escreveu o jornalista Claudio Humberto em sua coluna de hoje e, na seqüência, aos comentários de leitores sobre uma notícia publicada na Folha de São Paulo.



sérgio carneiro (2020) - FORTALEZA/CE
As bolas 31,40,50 e 55 saíram no concursos 1225 e no concurso 1226. Fraude. Claro que não. A CEF esqueceu de tirar os imas que fazem pesos. Claro que não. Coincidência. Segundo a CEF foi.

ricardo da silva (457)
E O POVO GASTANDO O QUE NÃO PODE, E CONCORRENDO AO QUE NÃO GANHA.NÃO É A TOA QUE NATAL É A EPOCA DO PAPAI NOEL...ELE EXISTE?

Paulo Rubens (1442) - SAO PAULO/SP
Porque o Sílvio Santos pode?

Taichi Matsumoto (2324) - SAO PAULO/SP
As regras da loteria deveriam ser modificadas, da forma a dar segurança aos contemplados, mas ser aberta, de forma a não permitir falcatruas.

Alexandre I. (2003)
Essa MegaSena da Virada é um ILUSÃO que apareceu para estragar o espirito de Natal. O Egoismo de querer ganhar sozinho, mandar o chefe tomar caju, viver esbanjando..... fora que é uma forma de o governo recuperar parte do 13o. salario do povo...

Ludovico Saldanha (901)
Ainda existem pessoas que confiam nestes jogos? Que confiem na Justiça Brasileira? Pelos comentários, ainda existem, sim...

marcio jr giuliani (307)
Claríssimo!!!
Êles tem que arrecadar mais funcos de campanha ... não precisa ficar inventando desculpas que o povão é ignóbil mesmo!!!! O processo de lavagem cerebral foi muito bem conduzido e ninguém vai berrar. Podem fazer 7 sorteios por semana, acumular todos e embolsar, como de costume, que ninguém vai nem se dar conta. Um dia, se Deus existir mesmo, a casa cai e daíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiiiiiii ..

Reginaldo Hipólito (8)
Enquanto a polícia tenta prender os bicheiros, o DESGOVERNO FEDERAL incentiva os viciados em loterias (inclusive eu) a gastar acreditando na sorte. Alguém já viu por aí algum demostrativo do lucro da CAIXA com essas loterias FEDERALIZADAS? Aqui em Mossoró-RN a polícia fechou vários bingos que funcionavam em praças públicas, e bancas de jogos dos bichos. Êta Brasil desigual ... O DESGOVVERNO PODE TUDO!

maria ramos (68)
O Brasil é o maior cassino do mundo, tem jogo todos os dias, e o dono do cassino que é o governo não pode perder e ficar um dia sem ter sorteio de algum jogo. E, mesmo assim não liberam os cassino privados porque consideram que o povo brasileiro vai perder dinheiro jogando nesses locais, ou que vai ocorrer lavagem de dinheiro utilizando os cassinos. Só para perguntar. Nesse cassinão do governo não ocorre isso? Falcatruas? Porque só o cassino privado é considerado uma máquina de lavar-roupas. KKK

Regina Gonçalves (88)
É tão triste morar num país chamado Brasil,onde só há falcatruas,roubalheiras e contos-do -vigário para com a população. Não podemos sonhar.Foi nos tirado esse direito há tempos...

marcos moraes (520) - JUIZ DE FORA/MG
Por que 3 concursos? Porque, senão, não chegará a 170 mlhões!
Já há 61.800 mil acumulados. Os 3 são para que haja os concursos de final 7,8,9 fazendo coincidir a acumulação do mega-sena de final 0 com o mega da virada, daí 3 agora e nenhum semana que vem.
O que é uma sacanagem com o apostador, visto que quem aposta na mega-sena espera que as regras sejam respeitadas e não que um jogo aumente o poder do outro, sob regras completamente diferentes.
Esperar o que dessa gente do PT?
MAM

genival ferreira (76) - SALVADOR/BA
E a jogatina tem ares de lícita, agora três roubo na semana, polícia federal alerta e, olho no pessoal da CEF. Bons jogos.

Antonio Silva (177)
Acreditar nos sorteios da caixa é o mesmo que acreditar em Papai Noel.

Alex Lima (140)
Concursos 1225 e 1226 repitaram-se os números... segundo email circulando pela internet, esqueceram de retirar as bolas marcadas.
EU NÃO ACREDITO NOS SORTEIOS DA CEF... MEGA, DUPLA, TIME, ETC...

ZE MANE (222)
É PRA DUVIDAR, MESMO! Muito simples! Pergunta ao matemático Oswaldo de Souza: Qual é a chance de uma pessoa acertar na Mega Sena? Depois, pergunta: Qual é a chance de 4 números se repetirem no jogo seguinte? Para mim, o que aconteceu é que eles colocaram as 4 bolas mais pesadas e por algum motivo, o responsável para recolhe-las não teve condições de fazer. Por isso que no concurso seguinte elas repetiram de novo. SIMPLESMENTE, AS 4 BOLAS SAÍRAM, PORQUE SÃO MAIS PESADAS.

CESAR SILVA (149) - BELO HORIZONTE/MG
Amigo, lei o email direito. o que diz no email (farsa que circula na internet) é que os números foram por demais parecidos. COncurso 1225 de 23/10/2010= 31-32-34-40-50-55 e com um ganhador, já o 12265 de 27/10/2010= 10-31-40-50-55-56, sem ganhador principal. Portanto podes ver que é falácia.

Francisco Rocha (60)
Um governo que prega a distribuição de renda deveria começar pelos seus proprios, todos estes jogos não deveriam acumular e sim distribuir o valor para quem fez 5, 4 ou ate 3 pontos, isto é distribuição de renda. Isto movimenta a economia. Agora alguem duvida do porque é assim, montantes maiores da-se para justificar operações maiores....L a v a g e m ...

Ricardo Barbosa Jr (1454)
O que você não sabe, meu caro Francisco, é que esses prêmios são ganhos por laranjas previamente escolhidos que "ganham", e o dinheiro some nos bolsos daqueles que realmente comandam os jogos nesse país.

Pois é... e vem aí mais uma Mega da Virada no dia 31. Seria uma ótima oportunidade para a Caixa começar a resgatar a sua credibilidade junto ao mercado e à população. Se bem que com este atual sistema de sorteio que mais parece de bingo de quermesse fica difícil. Mas, nunca é tarde para recomeçar.




quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 13:28 0 comentários

O REGIME PETISTA CHEFIADO POR LULA/DILMA FORA DA TELINHA

Longe da telinha da tv, que mostra a propaganda do regime petista vendendo um país que não existe e, isto com o dinheiro do contribuinte, a realidade do nosso país é bem diversa. É a mesma daqueles que vendem que o Brasil tem o melhor futebol do mundo. É só enfrentar o Barcelona que a máscara cai.
Neste caso, basta uma análise de um economista mostrando fatos incontestáveis. Leiam abaixo e aqueles que colocaram este regime no poder poderão notar a besteira que fizeram:
               
2011: O GOVERNO FEDERAL!
             
1. O ano de 2011 foi um ano perdido para o governo federal, seja do ponto de vista político ou econômico. Do ponto de vista econômico, apesar de todos os indicadores internos e externos apontarem para um ano recessivo, o governo insistiu em manter um discurso otimista para criar expectativas. Só que ele mesmo se convenceu disso e manteve a simples rolagem da política econômica anterior. No final do ano, quando se deu conta que a situação era grave, é que vieram as medidas, mas de forma pontual e atabalhoada. Os fatos atropelaram o governo federal.

2. O crescimento de 7,5% produzido no ano eleitoral de 2010, a golpes de populismo fiscal e cambial, era insustentável. A inflação antecipou os fatos. Em nossas análises antecipamos isso desde o final de 2010 usando a renúncia do presidente do Banco Central como referência. Os fatos confirmaram as projeções. O Brasil, ao responder a crise de 2008 com medidas de keynesianismo juvenil, perdeu a oportunidade de investir em infraestrutura, reduzindo o "custo Brasil". A indústria brasileira perdeu competitividade e sua balança comercial saiu de um superávit de 18 bilhões de dólares em 2006 para um déficit de 80 bilhões de dólares em 2011. Quase 100 bilhões de dólares de "gap" em 5 anos. E a bolha de crédito só não estourou -ainda- pela rolagem da inadimplência.
              
3. O desembolso do BNDES para a Indústria em 2011 foi reduzido a menos da metade de 2010. O déficit em conta corrente subiu para quase 55 bilhões de dólares e as projeções do Banco Central para 2012 são de 65 bilhões de dólares, ou 3,5% do PIB, um dado semelhante a países europeus em crise. O PIB em 2011 não crescerá 3% e nos últimos meses o crescimento foi nulo. Para 2012, logo após a presidente oferecer números otimistas, o próprio Banco Central reduziu para números mais realistas.
              
4. No entanto, o impacto progressivo da crise europeia, com refluxo do crédito e retorno de capitais, leva 2012, na melhor hipótese, para o mesmo crescimento de 2011. O patamar inflacionário com que se trabalhou em 2011, no entorno de 7%, será mitigado pela própria recessão. Mas se o ano eleitoral levar a um novo açodamento keynesiano, nem isso se conseguirá. E uma incerteza adicional vem com a bolha chinesa de crédito e o arrefecimento da taxa de crescimento que, de uma ou outra maneira, afetará o crescimento das exportações brasileiras. A associação dos exportadores projeta, em 2012, um superávit comercial de apenas 3 bilhões de dólares. A crise internacional já se faz presente por aqui.
             
5. A combinação de uma base parlamentar de 17 partidos, com o maior deles -o PT- com apenas 16,7% dos deputados e a inexperiência da presidente em matéria parlamentar, já que nunca sequer foi vereadora, levou a uma parálise na tomada de decisões. A heterogeneidade da base aliada -da direita à esquerda- garante a aprovação da rotina, mas inviabiliza qualquer mudança nas direções imaginadas pelo PT e Dilma. Os escândalos com a saída de 6 ministros e com a desintegração da autoridade de um sétimo, exatamente o mais próximo da presidente, acentuou esta crise na capacidade de governar.
            
6. As avaliações das funções de governo são negativas e Dilma -ainda- escapa por passar, junto à imprensa, a imagem de que está longe disso tudo e que é apenas herança de Lula, a quem lealmente não desgasta. A expectativa da volta de Lula em 2014 mantinha a base aliada (expandida por um novo partido). Independente de que supere sua doença, como vem sendo noticiado, a possibilidade de ser candidato em 2014 fica eliminada.
            
7. O ano de eleições municipais de 2012 acirrará os ânimos na medida em que não se pode repetir, em nível municipal, a base em nível federal. E como se sabe (Jairo Nicolau-IUPERJ), a correlação efetiva está entre a eleição de vereadores e -dois anos depois- de deputados federais, o que acentua os conflitos internos na base aliada. No correr do ano de 2012 ficará claro que o senador Aécio Neves é um forte competidor para Dilma e estimulará o DEM e o PPS a lançarem candidatos. Isso tornará a oposição mais aguerrida, mais retórica e a base aliada ainda mais fluida.
            
8. E se o voluntarismo prevalecer em 2012, não será mais um ano perdido, mas um governo perdido.


Por Cesar Maia, via e-mail

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 01:56 0 comentários

BLOG DO LÚCIO NETO ESTRÉIA NOVA SÉRIE EM 9 DE JANEIRO. ASSISTA AO TRAILER

Se a sua indignação com o atual estado de fatos que reinam no Brasil do regime petista têm embrulhado o seu estômago, imagine quando você souber que estamos sendo enganados por governos, políticos e religiosos há séculos. É, é isso mesmo! Há séculos. São tantas as mentiras que num post apenas não dá para a gente contar as verdades para você. Daí, iremos contar tudo numa série que estréia no dia 9 de janeiro de 2012. Nem sei ainda em quantos capítulos, pois ainda estamos no processo de pesquisas e checagem das informações. Posso garantir que vai valer a pena e, certamente, você irá olhar o mundo com outros olhos, pois muitas de suas crenças caírão por terra. São mentiras que vêm sendo repetidas há centenas de anos.
Assista ao trailer dando play no vídeo abaixo da nova série do blog que se chamará 2012 - O RETORNO DOS ANUNNAKI. Você irá se surpreender.





sábado, 17 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 15:18 0 comentários

A ARTICULAÇÃO DO PT PARA ABSOLVER A QUADRILHA DO MENSALÃO

Em fevereiro de 2006, o desembargador Ricardo Lewandowski foi indicado pelo presidente Lula para ocupar uma cadeira na mais alta corte do país, o Supremo Tribunal Federal. Era o primeiro ministro nomeado pelo petista desde a descoberta, no ano anterior, do escândalo do mensalão, o maior esquema de corrupção da história do país. Ao ser entrevistado por emissários do Planalto e conversar com Lula antes da indicação, Lewandowski já tinha plena consciência de que teria, nos anos seguintes, a missão de julgar o processo que resultaria da revelação de que o governo do PT pagara mesada a parlamentares em troca de apoio político. O ministro não só conhecia essa realidade como era próximo a figuras de proa do partido. Formado na Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, berço sindical do petismo, e professor com mestrado e doutorado na Universidade de São Paulo, ele conhecia a família Lula desde jovem. Sua mãe, por exemplo, era vizinha da ex-primeira-dama Marisa Letícia. Relações pessoais com poderosos não impedem ninguém de assumir cargos públicos de relevo. Para assentos no STF, são exigidos notório saber jurídico e reputação ilibada. Além desses dois requisitos constitucionais, espera-se de um ministro da suprema corte independência com relação ao presidente da República que o indicou. É nessa seara que a movimentação de Lewandowski tem causado apreensão.

Desde que foi empossado, sua atuação só chamou atenção quando foi portadora de maus presságios — para a opinião pública e as instituições — sobre o caso do mensalão. Na semana passada, essa situação chegou ao paroxismo. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, ele informou que só pretende concluir seu voto no processo em 2013 — o que prorrogaria ainda mais o desfecho do caso, cuja conclusão está prevista para o primeiro semestre de 2012. Por trás de uma questão meramente temporal há uma série de desdobramentos políticos, todos eles favoráveis ao PT e à camarilha que figura como ré no processo. O próprio Lewandowski admite que, com o adiamento, poderá haver prescrição de boa parte dos crimes imputados aos mensaleiros. Entre os quais, o de formação de quadrilha, acusação que pesa sobre os ombros do comissário José Dirceu, ex-chefe da Casa Civil.




Leia a íntegra da reportagem de Paulo Celso Pereira e Laura Diniz/VEJA

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 13:05 0 comentários

BEM-VINDA AO MUNDO REAL, DILMA

De acordo com o que dizem alguns que têm alguma convivência com a presidenta Dilma, ultimamente, nas suas conhecidas explosões de mau humor, ela anda se queixando que está cansada de ter que negociar tudo com o Congresso Nacional. Nada sai sem um preço alto, geralmente contabilizado em cargos e emendas. Dilma está com medo da crise mundial, não quer gastar, e tem uma delicada agenda a pressioná-la neste final de ano, com a necessidade de prorrogar a DRU (Desvinculação das Receitas da União) e de mandar para o espaço o aumento dos gastos com a saúde na hipótese da aprovação da Emenda 29, o desafio de ontem (7) à noite.

É o cenário ideal para alguns dos parceiros que Dilma arrumou no ano passado para se eleger, uma turma que adora criar dificuldade para vender facilidade. Quando o mordomo lhe apresenta a conta, Dilma explode.

Bem, presidenta, bem-vinda ao mundo real. Assim é o modelo de governança que ela e seus antecessores nesta atual experiência democrática brasileira escolheram. Como não há absolutamente nada nesta base aliada – do ponto de vista programático e ideológico – que consiga unir pessoas de pensamento tão díspares como, digamos, Jair Bolsonaro, do PP, e Marta Suplicy, do PT, para ficar só em dois exemplos, a costura se dá pelo loteamento do poder.

O governo central dispõe das benesses que a Constituição lhe garante, e a base, em troca, lhe concede os votos. Como a caixinha do governo é bem mais limitada que a fome dos seus aliados – e como os interesses partidários nem sempre são lá muito limpos e defensáveis –, a lógica que move essa relação é de crise permanente. É preciso que haja sempre um pepino de tamanho razoável que precisa ser descascado em troca das verbas, das emendas, dos cargos etc. Exige um saco de filó. De vez em quando, o saco, naturalmente, enche. E Dilma explode.

O que aconteceu no Senado nos últimos dias é um exemplo clássico, de almanaque, de como se dá essa relação. Uma semana antes de perder a paciência e meter o dedo na cara do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) tinha feito um comentário que mostrava claramente que ele tinha compreendido a parada. Surpreendendo a todos, Sarney colocou em discussão a Emenda 29, gerando um barata-voa na base de sustentação do governo e atiçando a oposição. Depois, jurou que tinha sido um “engano”. Demóstenes resumiu: engano não, porque “de ingênuo, o senhor não tem nada”.

Na verdade, o “engano” de Sarney era já o segundo ato da pantomima ensaiada pelos peemedebistas. Alguns dias antes, sem combinar com o Palácio do Planalto, o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), negociara com a oposição colocar em votação a Emenda 29 em troca do fim da tática de obstrução que os oposicionistas faziam contra a emenda que prorroga a DRU. O que Sarney fazia era seguir nessa toada. Ora, trocar a DRU pela Emenda 29, para um governo que quer economizar dinheiro, é trocar seis por meia dúzia. Em troca de desvincular bilhões em recursos que poderia usar livremente – ou não usar –, o governo aceitaria votar uma emenda que tem por propósito justamente vincular bilhões em recursos para um setor, no caso a saúde.

Ao final, dado o susto, criada a dificuldade, tratou o PMDB de vender a facilidade. Votou-se a Emenda 29, ficou parecendo que o governo ia perder e, no final, o PMDB arrumou os votos para aprovar o substitutivo do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT), que mantém o atual patamar de destinação de recursos federais para a saúde. A desenvoltura do PMDB na votação de ontem era tanta que, em determinado momento, Humberto desabafou: “Me sinto aqui apenas líder de mim mesmo”. Eram os peemedebistas que encaminhavam, apontavam os caminhos, faziam as negociações e estratégias.

Foi criado o embrulho, ele foi desembrulhado, e o recado do PMDB foi dado. Um recado que serve para os futuros propósitos da presidenta: ela quer no início do ano enxugar o número de ministérios e torná-los mais técnicos? Primeiro, precisa conversar com a turma que tem votos no Congresso. Ao final, é possível que prevaleça tudo como está: cargos à vontade para que os aliados, como o PMDB, pendurem seus políticos, que nada entendem das áreas que irão comandar. E a manutenção da usina de escândalos vai ser culpa dessa imprensa golpista, que insiste em continuar fazendo seu trabalho.



Por Rudolfo Lago - Editor-executivo do Congresso em Foco.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 00:47 0 comentários

COM APROVAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL QUEM VAI COMER CAPIM SÃO OS ECOABESTALHADOS

É verdade que a guerra ainda não acabou. Vencemos mais uma batalha travada em noite memorável do Senado Federal. Foi uma vitória robusta anunciada pelo presidente do Senado com 59 votos a favor e 7 contra. Mas, em seguida um senador que não pude identificar, pelo tumulto do momento, afirmou que por ser novato tinha errado o seu voto que era não (*). O senador José Sarney informou que iria constar na ata. Então, foram 58 contra 8. Votação, aliás, que anunciei no twitter em primeira mão, antes mesmo dos grandes portais. É só comparar a hora.

Foi um momento histórico. Um momento de soberania brasileira que não se curvou à pressão dos gringos e das ONGs financiadas por eles. Parabéns aos nossos nobres senadores.
Digo e repito. O que estes ecoabestalhados defendem não é a preservação das nossas florestas. O motivo é este, mas na verdade é uma campanha contra o Brasil, contra a produção de alimentos que o Brasil será capaz de produzir com a implementação do novo Código Florestal. É uma campanha cara, não há limites de custos, eles tentam comprar todo mundo, pois o jogo é de bilhões e bilhões.
Vejam um exemplo na foto abaixo quando ativistas do Greenpeace protestam em frente ao Congresso, em Brasília, contra a votação do Código Florestal. Quanto não custou esse brinquedinho?



É tudo uma questão de lógica. Se um país tem uma legislação caduca que só prejudica quem produz e que, durante anos, não conseguiu repor absolutamente nada do que foi derrubado de florestas e se, após meses e meses de debates, estudos, audiências, etc., se consegue chegar a um consenso sobre uma nova legislação que irá permitir, entre outros benefícios, o replantio de áreas devastadas, isto é ruim para o país?

Somente ecoabestalhados financiados por gringos não conseguem ver que o novo Código Florestal é um avanço e torna o Brasil o país mais verde do Planeta Terra. É importante que o brasileiro saiba o que está por trás dessa guerra.
Quem é contra o Código Florestal é contra o Brasil. São falsos ambientalistas que usam o tema como fachada para defender interesses escusos.
Esses gringos já domnam duas das maiores reservas indígenas localizadas na nossa Amazônia. A Reserva Raposa do Sol, demarcada recentemente, foi conquistada por eles com uma campanha semelhante. Alugaram "mulas" brasileiras para defender o tema ambiental, quando na verdade o que estava em jogo eram as riquezas do subsolo dessa região. Coloque mais essa na conta do ex-presidente Lula. O mesmo ocorreu com a Reserva dos falsos Ianomamis. Só que esta deve ser creditada na conta do ex-presidente Collor, que aliás não foi visto na votação do Código Florestal.

O novo Código Florestal agora terá que voltar à Câmara dos Deputados e depois seguir para a sanção presidencial. Acredita-se que está guerra o Brasil venceu e sobre esta matéria não haverá surpresas. É tanto que, os ecoabestalhados já jogaram a toalha e voltam agora as suas baterias contra a hidrelétrica de Belo Monte. A historinha é a mesma e só engole quem for abestado.
O capim está aí, mas quem vai comer não é o povo brasileiro. E como é um capim de boa qualidade vamos mandar uma amostra para cada um dos gringos que tentou mais este golpe contra o nosso país e, de quebra, para as suas mulas brasileiras.


(*) Foi o novato senador João Capiberibe (PSB-AP).
Os outros sete que votaram contra o Código Florestal foram:

Lindbergh Farias (PT-RJ)
Paulo Davim (PV-RN)
Cristovam Buarque (PDT-DF)
Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)
Marinor Brito (PSOL-PA)
Fernando Collor de Mello (PTB-AL)
Marcelo Crivella (PRP-RJ)

Um pouco de capim para cada um vai lhes fazer bem.



terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 12:03 0 comentários

CONTRARIANDO OS ECOABESTALHADOS: DESMATAMENTO CAI 11%

A grande notiíciia para o dia da votação do Código Florestal pelo Senado. Parece até obra divina, como se o Poderoso, mandasse um recado para esses ecoabestalhados, tanto do Brasil como do Exterior, dizendo:

- Abestados, não foi por acaso que a Natureza privilegiou este país. Ele tem a missão de liderar o mundo e estabelecer novos paradigmas para a humanidade.

Leiam a informação completa do Estadão Online

Desmatamento na Amazônia cai 11% e atinge menor taxa em 24 anos

Entre agosto de 2010 e julho de 2011, a Amazônia perdeu 6.238 quilômetros quadrados (km²) de floresta. É a menor taxa anual de desmate registrada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), desde o início do levantamento, em 1988.

O número é calculado pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que utiliza satélites para observação das áreas que sofreram desmatamento total, o chamando corte raso.

A taxa de 2011 é 11% menor que a devastação registrada pelo Inpe em 2010, de 7 mil km². Apesar da queda, a área desmatada na Amazônia Legal em um ano ainda é maior que o Distrito Federal ou quatro vezes o tamanho da cidade de São Paulo.

De acordo com o diretor do Inpe, Gilberto Câmara, quase todos os estados da Amazônia registraram queda no desmatamento entre 2010 e 2011. Apenas em Mato Grosso e Rondônia os satélites verificaram aumento das derrubadas. Mato Grosso desmatou 1.126 km² no período, aumento de 20% em relação a 2010. Em Rondônia, o Inpe registrou 869 km² de novos desmates em um ano, área o dobro da desmatada no período anterior.

No Pará, houve queda de 15% em relação a 2010, mas o estado ainda lidera o ranking anual de desmatamento, com 2.870 km² de florestas a menos entre agosto de 2010 e julho de 2011.

O governo atribui à queda do desmatamento anual às ações de fiscalização e combate, reforçadas a partir de abril, quando o sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter), também do Inpe, mostrou aumento significativo do desmatamento, principalmente em Mato Grosso e Rondônia.

“Os alertas do Deter desencadearam operações significativas que reduziram muito a incidência do desmatamento em Mato Grosso. Por causa dessa ação, verificamos que o desmatamento que em abril tinha indícios de que iria crescer, manteve-se por mais um ano em queda”, avaliou o diretor do Inpe, Gilberto Câmara.

De acordo com o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Curt Trennepohl, somente em Mato Grosso, as operações resultaram no embargo de 38,5 mil hectares de áreas desmatadas irregularmente. Em toda a Amazônia Legal, o número chega a 79 mil hectares embargados, além de 8 mil autos de infração aplicados, 350 caminhões apreendidos e 42 mil metros cúbicos de madeira em tora apreendidos.







domingo, 4 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 23:03 0 comentários

EXTRA! EXTRA! VEJA O TIRO CERTEIRO QUE DERRUBOU LUPI

Após série de denúncias, Lupi pede demissão do Ministério do Trabalho
Enredado em uma teia de denúncias, Carlos Lupi, titular do Trabalho, pediu neste domingo demissão do cargo. Ele perdeu o apoio do PDT, entrou em rota de colisão com o PT – que está de olho na vaga – e não conseguiu explicar à Comissão de Ética da Presidência os casos de cobrança de propina na pasta. Na sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff, em viagem à Venezuela, avisou que decidiria o caso "na segunda". Para se antecipar ao gesto presidencial, Lupi retornou na tarde deste domingo, 4, a Brasília e apresentou sua carta de demissão a presidente, em encontro no Alvorada. "Faço isto para que o ódio das forças mais reacionárias e conservadoras deste país contra o trabalhismo não contagie outros setores do Governo. Decidi pedir demissão do cargo que ocupo em caráter irrevogável", disse em nota.

Leia mais aqui


Clique play e assista ao tiro certeiro que derrubou Carlos Lupi do Ministério do Trabalho




sábado, 3 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 01:23 0 comentários

ERA SÓ PANTIM: UNICEF DESMENTE MAIS UMA BALELA DO REGIME PETISTA

Conta de mentiroso não bate. Não tem jeito. Você pode fazer um pantim aqui outro acolá, mas a verdade acaba aparecendo.
Se você pesquisar neste blog vai encontrar vários posts em que comentamos as balelas do regime petista divulgadas pelo seu Ministério da Propaganda. Aliás, é um ótimo lugar para se viver este divulgado nos filminhos do regime petista. Nada diferente do que fez Hitler. Repita uma mentira até que ela se torne uma verdade. Uma antiga técnica da pior propaganda que existe - a enganosa.
Essa balela de que "tiramos xilhões de pessoas da linha da miséria", não resiste a nenhum estudo mais sério sobre o tema. Ela é fantasiada ainda de que o regime petista criou uma nova classe social. Essa é demais! A criação de uma nova classe é tão extravagante quanto aquela que diz que o "mensalão do PT nunca existiu".
Essa história de uma nova classe social não existe. O que existiu é que as classes B/C, as que sempre pagam o pato, estavam sufocadas pela hiper inflação que tomava conta do país. A partir do Plano Real, com a economia estabilizada, sem a inflação corroendo seus salários, estas classes passaram a ter uma nova qualidade de vida. Só isso! Se alguém tirou alguém da miséria foi o Plano Real. Plano, diga-se de passagem, que o ex-presidente Lula e o seu PT, foram contra.
Quer dizer, os elementos fazem o que fazem e ainda riem de sua cara. Acham que somos todos abestados.
E aí, para provar que não somos abestados, vem a a Unicef e constata através de um primoroso estudo - leia íntegra aqui - que

Cresce índice de adolescentes em extrema pobreza

No Brasil, a pobreza e a pobreza extrema têm rosto de criança e de adolescente. Dados preliminares do Censo 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam que quatro em cada dez brasileiros (40%) que vivem na miséria são meninas e meninos de até 14 anos. Depois das crianças, o segundo grupo etário com maior percentual de pessoas vivendo em famílias pobres são os adolescentes.
O número de adolescentes brasileiros de 12 a 17 anos de idade que vivem em famílias com renda inferior a ½ salário mínimo per capita é 7,9 milhões. Isso significa dizer que 38% dos adolescentes brasileiros estão em condição de pobreza.
Praticamente um a cada três adolescentes brasileiros pertence ao quintil mais pobre da população brasileira (ou seja, os 20% mais pobres do País): 28,9% dos garotos e garotas entre 15 e 17 anos estão nesse grupo de renda.
O percentual de adolescentes vivendo em famílias extremamente pobres cresceu entre 2004 e 2009, passando de 16,3% para os atuais 17,6%. Ou seja, a pobreza recua na população brasileira em geral, mas cresce entre seus meninos e meninas.

O relatório, baseado em informações da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, indica que a situação de maior pobreza entre os adolescentes ocorre naqueles que vivem em favelas, invasões e assentamentos. Considerando a região, o cenário pior está na Amazônia e no semiárido nordestino.

O Brasil vive hoje o que vem sendo chamado de bônus demográfico. Com 11% de sua população vivendo a adolescência, o País tem uma oportunidade única: nunca houve e não haverá no futuro tamanho contingente de adolescentes. Um universo de 21.083.635¹ de meninos e meninas, um momento inédito de possibilidades reais para se fortalecer os importantes avanços das últimas duas décadas nas áreas da saúde, da educação, da inclusão, já realizadas para as crianças. Sem deixar de investir na garantia dos direitos da primeira e segunda infância, é chegada a hora de se avançar em conquistas para os adolescentes brasileiros. Não há tempo como este. O presente do Brasil é um presente.

O Brasil tem diante de si uma enorme oportunidade. Com um novo olhar, que reconhece o quanto é rico ter 21 milhões de cidadãos com idades entre 12 e 17 anos, o País pode transformar potencial em realidade, aprofundando o saber sobre esses meninos e meninas, reconhecendo as diversas formas de se viver a adolescência, e construindo novas relações baseadas no diálogo, no respeito ao outro.

Neste ponto, o relatório da Unicef aponta que se propaga muito e se faz muito pouco:

Enfrentar as desigualdades e reduzir as vulnerabilidades é, portanto, uma tarefa urgente. Isso só se faz, com escala e sustentabilidade, por meio de políticas públicas universais, para todos os adolescentes, e também de políticas específicas, desenhadas para essa fase especial da vida e para as diferentes condições de se viver as adolescências que hoje temos no Brasil. Neste relatório, apontamos algumas políticas já desenhadas e efetivadas no País, dirigidas aos adolescentes, como contribuição para a análise de conquistas e desafios e para reafirmar a importância dessas políticas.

É chegada a hora de se ampliar e de se aprofundar essas conquistas, incluindo na agenda de prioridades dada às crianças, os adolescentes. Para o UNICEF, não há tempo como este. O Brasil tem diante de si a possibilidade de uma escolha transformadora: garantir o direito de ser adolescente a esses 21 milhões de cidadãos é assentar as bases para um País ainda mais forte, mais inovador e mais respeitado, porque mais justo e com mais equidade, na realização dos direitos dos cidadãos de até 18 anos.

E para terminar vem a lamentável declaração da ministra do regime petista Tereza Campello, Desenvolvimento Social e Combate à Fome e à Pobreza que afirma a solene besteira:
- Os dados da Unicef não são consistentes e pedirei reconsideração.

Pois é, inconsistentes são as balelas que este regime tem propagado. E preparem-se, vem aí mais uma campanha política.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Postado por Lucio Neto On 01:12 0 comentários

O NOVO CÓDIGO FLORESTAL SERÁ APROVADO NA TERÇA. VIVA O BRASIL E FORA OS GRINGOS

A principal notícia do dia não teve a repercussão na chamada "grande imprensa" pelo tamanho do seu significado para o Brasil e sua gente.
O Senado Federal ao aprovar por 58 votos contra apenas 6, o requerimento de urgência para votação do novo Código Florestal, já antecipa a sua aprovação em Plenário, com votação prevista para a próxima terça (5/12).
O Congresso Nacional - Senado e Câmara - já pode aposentar os atuais congressistas, pois eles cumpriram a principal missão desde a redemocratização do país, pós Revolução de 64. Estão todos perdoados por eventuais deslizes por ventura praticados no exercício parlamentar.
A aprovação do novo Código Florestal pela Câmara e, como disse, a anunciada aprovação pelo Senado, é uma mostra gigantesca do compromisso desses parlamentares com a soberania do país.
Com este ato eles decretaram a falência dessas ONGs gringas, financiadas pelo agronegócio estrangeiro, que tentaram da forma mais vergonhosa possível impedir que o Brasil venha a ser o maior produtor mundial de alimentos tendo o mais avançado código ambiental do planeta Terra.

Senadora Katia Abreu, musa e heroína nacional

Leia íntegra do relato da votação publicado no site do Senado:

Por 58 votos a favor e seis contrários, o Plenário aprovou, nesta quarta-feira (30), requerimento de urgência para votação do novo Código Florestal (PLC 30/2011). Com isso, o texto poderia ser votado em Plenário já na sexta-feira (2). Mas acordo de líderes determinou sua votação na próxima terça-feira (5).
O requerimento foi lido na hora do expediente desta quarta-feira. A leitura havia sido feita no dia anterior, mas o PSOL exigiu o cumprimento do Regimento Interno do Senado, uma vez que essa leitura fora feita durante a ordem do dia, diferentemente do que a norma determina.
A matéria foi votada simbolicamente, mas o senador senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) pediu que fosse feita a votação nominal. Para ele, a urgência é absurda e a tem como razão possibilitar a sanção do novo Código Florestal antes da Conferência Mundial do Meio Ambiente, a Rio+20, a ser realizada no Rio de Janeiro em 2012.
Ao defender o requerimento, do qual é um dos autores, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) - presidente da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) - afirmou que a matéria está pronta para ser votada. Lembrou que o Senado Federal começou a discuti-la antes que ela chegasse à Casa, tendo ouvido o Ministério do Meio Ambiente, a comunidade científica e organizações não governamentais.
- Construímos um ambiente de diálogo, de serenidade e de ponderação e, acima de tudo, construímos um Código Florestal equilibrado - afirmou.
Durante a votação, vários senadores se manifestaram. A senadora Kátia Abreu (PSD-TO) afirmou que o Brasil, ao contrário do que afirmou Randolfe Rodrigues, tem muito a mostrar na Conferência, como a redução do desmatamento, a redução da emissão de gás, e a preservação de 61% da cobertura vegetal nativa brasileira.
O senador Blairo Maggi (PR-MT) afirmou que o novo Código Florestal significa a "libertação do setor produtivo brasileiro". Segundo ele, o Código "vai dar ao Brasil a possibilidade de ser o maior produtor do mundo e de dar o exemplo na área de conservação". O senador Jayme Campos (DEM-MT) afirmou que o Código é "um dos projetos mais importantes que o Congresso Nacional discutiu nos últimos anos" e que ele vai dar segurança jurídica ao campo.
O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) elogiou o "trabalho excepcional" dos relatores da proposta, senadores Luiz Henrique (PMDB-SC) e Jorge Viana (PT-AC), elaborando um texto que "atende a toda a população". Já Luiz Henrique afirmou ser preciso restabelecer, no Plenário, o clima de cordialidade, de sensatez, de equilíbrio e, principalmente, "o clima de construção de uma lei definidora do futuro do país", que foram conquistados na discussão da proposta nas Comissões.
A senadora Marinor Brito (PSOL-PA) afirmou que a população brasileira não pode "aceitar a oficialização dos crimes ambientais" ou o desmatamento em grande escala, que para ela estão presentes no texto de Luiz Henrique e Jorge Viana.
O senador Ivo Cassol (PP-RO), por sua vez, afirmou que o Código consegue o equilíbrio entre preservação e produção. O senador Sérgio Souza (PMDB-PR) afirmou que a nova legislação ambiental brasileira vai servir de "parâmetro para o resto do planeta". E o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) disse que a "vitória esmagadora" na votação do requerimento deve ser considerada, uma vez que o Congresso Nacional é a representação do povo brasileiro.

E segue abaixo esclarecimentos sobre pontos importantes do novo Código que Marina Silva e as ONGs gringas, financiadas pelo agronegócio estrangeiro, tentaram disseminar para confundir a população. Para você ter uma idéia, uma delas, a WWF, chegou a publicar uma cartilha no site do Ministério da Agricultura. Veja aqui 

Infelizmente, o regime petista abriu as portas para essas ONGs que tanto mal fazem ao nosso país. Não se pode dizer, em momento algum que esses ecoabestalhados tentaram um diálogo democrático. Mentir, usar de subterfúgios, disseminar inverdades, se intrometer em assuntos internos do nosso país de forma covarde e vil, não é democrático. Isto se chama PICARETAGEM. E aqueles brasileiros e brasileiras que atuaram junto à essas ONGs devem ser considerados verdadeiros traidores da pátria.
Leia algumas verdades e as mentiras dessa turma de picaretas:

Mentira: "As modificações propostas vão ampliar o desmatamento no país."
Verdade: A atual legislação permite o desmatamento. A questão é que a maioria dos desmatamentos é feita além dos limites que a lei autoriza e muitas vezes em áreas impróprias, até mesmo as atividades agropecuárias. E isso acontece, infelizmente, pela ausência do Estado, de fiscalização. Hoje, quase todos os desmatamentos, principalmente na Amazônia, são ilegais.

Mentira: "As mudanças propostas estão sendo preparadas para beneficiar os grandes produtores."
Verdade: A lei se aplica a todos. Mas as mudanças beneficiam prioritariamente os pequenos produtores, que terão obrigatoriamente que preservar as APPs, exceto aquelas onde o uso esteja consolidado (em 2008) e não hajam danos ambientais decorrentes da sua atividade. Mas, serão dispensados de recompor o eventual passivo da Reserva Legal em sua propriedade, desde que o desmatamento tenha ocorrido até julho de 2008.

Mentira: "O Código Florestal está sendo desmontado para atender os interesses dos proprietários rurais."
Verdade: O Código está sendo atualizado para se adaptar às mudanças das últimas décadas na agropecuária e no Brasil. A proposta aprovada na Câmara dos Deputados e em discussão no Senado Federal não estimula o desmatamento. Não se trata de “desmontar” o Código Florestal, pois boa parte das suas disposições foi mantida, além do fato de que grande parte dos seus dispositivos até hoje não foram aprovados pelo Congresso Nacional e sancionados na forma da Constituição Federal.

Mentira: "O desmatamento na Amazônia vai aumentar."
Verdade: O Código Florestal proposto não abre espaço para aumentar o desmatamento em nada. Os percentuais de Reserva Legal, para a abertura de novas áreas e das já abertas – à exceção das propriedades com área inferior a 04 módulos, são os mesmos da atual legislação.

Mentira: "A proposta vai “anistiar” os crimes ambientais."
Verdade: Não há qualquer anistia de crime, apenas a substituição de multas administrativas por obrigações de regularização, como o próprio Decreto Federal 7.029 de Dezembro de 2009 já prevê.

Mentira: "O novo código vai liberar encostas íngremes, topos de morro e matas ciliares para a exploração econômica em todos os casos e isso trará muitos problemas."
Verdade: A exploração nessas áreas ficará submetida à decisão do Programa de Regularização Ambiental (PRA) sendo que a conservação dos recursos naturais, em especial a água e o solo, são requisitos para a continuidade do uso agropecuário. Quem não se adequar a esses critérios de uso terá que fazer a recuperação integral dessas áreas, nos termos da legislação.

Republicamos abaixo o mapa divulgado em post anterior, pois ele é a síntese do NOVO CÓDIGO FLORESTAL.
E VIVA O BRASIL. E FORA OS GRINGOS PICARETAS!